Imagine yourself
And everywhere you see there are people and the people are smiling
And everyone is having a good time
And the people are loving one another
Sharing with one another
Imagine a world where there is
Only peace, where there is no anger
Where there is no hate, where there is no war
Imagine a world that is full of nothing but love
And full of nothing but joy
This world is something that we need
Imagine!

 

Mais uma vez alguém pega uma arma para mata pessoas inocentes gratuitamente nos EUA.  Mais uma vez uma pessoa desorientada entra num estabelecimento de ensino ou comercial e vidas se perdem se uma hora para outra. Nada infamiliar, estamos cada vez mais acostumados a ouvir este tipo de notícia. Mas o porque desta forma de violência ter aumentado tanto nos últimos tempos, algo como 10 anos, segue martelando na minha cabeça. Não acontece com tanta frequência no Brasil e na Holanda mas se o que estamos enfrentando neste momento é um fenômeno mundial em efeito dominó, será que há algo que se possa fazer para evitar que isto um dia ocorra em nosso país ou na nossa comunidade?

 

Ás vezes me vem a resposta de que a natureza do ser humano é cruel mesmo o tempo tempo e que apenas encontra-se camuflada pelas várias regras de comportamento social ou de etiqueta que nos foram impostas ao longo dos anos. Mas que dentro de nós (estou falando do nosso instinto animal) somos realmente selvagens e comportar-nos de maneira selvagem é o que o nosso instinto grita.

 

Os animais matam apenas para defender-se ou alimentar-se; eles nunca o fazem por um motivo vazio ou por ódio. O que faz um ser humano matar outro? Sem dúvida uma ódio e numa nível muito elevado. Ou no caso dos assassinos cujos familiares o descreveram como sempre terem sido pessoas “tranquilas”, uma insatisfação pessoal muito profunda. Em todos os casos, um desejo incontrolável de dar cabo de tudo e de todos e de si próprio, pois o assassino em todos os casos acabam por dar fim ás suas próprias vidas.

 

De onde poderia vir tanto desespero? Isolamento? Rejeição? Menor poder aquisitivo talvez? Se este fosse o caso, estes tipos específicos de crimes já deveriam estar acontecendo há muito mais tempo e geralmente em países em desenvolvimento, não em países prósperos e organizados.      

 

Tomemos o Brasil como exemplo. Crimes acontecem lá mas os motivos são (segundo eu vejo) sempre os mesmos: injustiça social, tráfico de drogas, etc. Nos 29 anos que eu vivi no Brasil nunca ouvi falar de pessoas atirarem para matar “sem motivo nenhum”.  Mas isto, algo que me soa tão banal, é algo que está acontencendo nos EUA e na Europa neste momento. E isto me preocupa muito mais do que a crise “do crédito” do momento.

 

turistas-go-home2Recentemente assisti a um filme chamado “Turistas – Go Home”, algo como “Fora Turistas”, que cai na categoria terror, tendo sido considerado inapropriado para apresentação nos cinemas. O filme foi gravado no Brasil, claro, com atores americanos e alguns figurinos brasileiros. Conta a estória de um grupo de mochileiros americanos que vem explorar nossas belezes naturais e quem sabe aprender um pouco de nossa língua e costumes. O filme começa com todos eles num ônibus antigo, sendo dirigido ppor um motorista imprudente, serpenteando uma estrada ao longo de uma montanha. Sem prestar atenção na contramão, o motorista perde o controle da direção e deixa o ônibus a ponto de virar penhasco abaixo. Felizmente todos conseguem escapar pelas janelas e salvar-se após o que o ônibus despenca-se como se fosse um brinquedo. Ao inteirarem-se que o próximo ônibus só passará daqui a dois dias, os mochileiros decidiram ficar onde estavam e curtir a natureza local. Nisto conhecem os moradores do local que parecem simpáticos e são informados de uma festa mais tarde, á noite. A festa transcorre exatamente como eles haviam imaginado: muita bebida, moças e rapazes atraentes, sexo e sedução.  A surpresa chegou no dia seguinte: eles acordam na praia em meio aos restos de comida da noite anterior, sem seus documentos e despojados de seu dinheiro. Este é o início de uma trama diabólica na qual os mochileiros vão descobrindo aos poucos e a duras penas que estavam numa armadilha, que estavam sendo sequestrados e que existia alguém insano com planos de retirar seus órgãos internos  por motivos comerciais.  Filme exageradamente horrível, o que não me lembra em nada minha terra natal em que vivi por tanto tempo. Enfim, esta é uma imagem parcial que não-brasileiros (vamos chamar assim) tem do Brasil.

 

Oras, por que eles não fazem um filme falando sobre a violência gratuita no próprio país deles? Seria sucesso de bilheteria, tenho certeza.  Destes 4 anos que eu vivo aqui na Holanda, o crime que mais me chocou foi a respeito de uma criança, numa pacata província no sul, que teve ¾ do pescoço cortado, em plena escola no meio tempo em que foi ao banheiro. Esta criança nunca mais voltou para a sala de aula.  Esta criança, se não me engano, foi vítima de justiça com as próprias mãos, por parte do irmão mais velho de um outro aluno da mesma sala de aula. Felizmente o assassino foi identificado e preso no mesmo dia. No mesmo dia também ele confessou o crime. Crimes envolvendo crianças eu sempre acho o mais horríveis.

 

Crimes acontecem em todo lugar. Por que acontecem é a pergunta que não quer calar. Espero apenas que sejam colocados de forma justa e sem exageros para o grande público.